O que é regionalização?

As políticas públicas de turismo no Brasil cresceram gradualmente conforme o desenvolvimento e aumento da prática desta atividade no país. Quanto maior a demanda de turistas nas mais diversas regiões no Brasil, maior foi à necessidade que houvesse diferentes políticas públicas para organizar, gerir e ordenar a prática do turismo em âmbito nacional, estadual e municipal.

No Estado de Minas Gerais, o investimento no desenvolvimento de políticas para o turismo foi através da Política de Regionalização, que organizou o Estado em Circuitos Turísticos, que segundo o Decreto Estadual nº 43.321 de 2003, considera estas instâncias de governança como: 

[...] o conjunto de municípios de uma mesma região, com afinidades culturais, sociais e econômicas que se unem para organizar e desenvolver a atividade turística regional de forma sustentável, através da integração contínua dos municípios, consolidando uma atividade regional.

Amparado pelas políticas públicas de turismo que priorizam a descentralização e regionalização desta atividade, os circuitos surgem como uma nova forma de concretizar o que ora foi proposto em outras diretrizes sobre a atividade turística. 

Seu objetivo principal é aumentar o fluxo e permanência de turistas numa determinada região, gerando assim o fomento e desenvolvimento econômico/social da mesma. Um circuito turístico ainda tem por finalidade fortalecer as regiões encurtando as distancias criadas pelo Estado, uma vez que de acordo com a Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (2009), os municípios que têm interessem em se associar, devem estar dentro do raio de 100 km da cidade sede, e o nome do circuito deve definir as características predominantes de uma região.

Atualmente, o Estado conta, de acordo com a Resolução 045/2014, com 45 Circuitos Turísticos certificados, mais a capital, Belo Horizonte, que totalizam aproximadamente 470 municípios associados. (SETUR, 2016).